top of page

Tanzânia - Uma viagem diferente, exploratório e necessária


Essa foi nossa opinião quando recebemos o convite mais que especial da TTW, Singita e @ Beyond para participar de 10 dias de exploração em seus lodges na Tanzânia. Imagine em 18 dias preparar documentação, segurar ânimos e expectativas e seguir para uma viagem la do outro lado?!


Pois bem, embarcamos com um grupo de seis profissionais selecionados para conhecer o pós-pandemia de duas empresas únicas na África, onde tudo começou para ambas, através de trabalhos de preservação e conscientização ambiental, ou seja, o berço de todo sucesso que ambas conquistaram hoje em seu segmento. Como a malha aérea a África desde o Brasil está deficitária, voamos para Doha por 14 horas e depois de 3 horas de conexão embarcamos ate Kilimanjaro, uma região do famoso vulcão no norte da Tanzânia. Chegamos super bem, depois de um dia e viagem, naquele aeroporto já em clima de “Safari”, modesto, mas eficiente.


Tramites rápidos de chegada - apenas nos exigiram as três doses de vacina, passaporte e pagamos localmente a taxa de visto/turismo que foi de USD 50 e pronto. Entramos no país. Modo aventura ON.


Reembarcamos num avião Cesna, monomotor para um voo de 45 minutos rumo a região do Creator Lodge da AndBeyond, localizado literalmente na melhor localização possível daquela cratera extinta de vulcão, onde 620 metros abaixo uma intensa vida animal pulsa diariamente e garante um Safari único, pois os animais estão ali concentrados. Ah, muito importante - o limite de peso para a mala que podemos levar e de 15kg, justamente devido aos aviões serem menores e mais limitados. Mas não se preocupe, todos os lodges que visitaremos tem lavanderia expressa, incluída, o que possibilita que sempre tenhamos as roupas limpas e cheirosinhas sem maiores dificuldades.


Logo na chegada na pista de pouso, nosso guia Ranger, Daniel já começou a dar seu show - um jovem Tanzaniano, apaixonado por seu país se revelou um expert em encantar pessoas, detalhar incansavelmente tudo que veríamos, mas além de tudo, nos deixar sempre a vontade e acima de tudo, seguros. Aliás, segurança e uma coisa que não deixa de estar presente em nosso dia a dia. Afinal, nos e que estamos visitando essa rica fauna e flora e nos que ficamos dentro de nosso espaço reservado para nós nesse show - nosso veículo superpreparado, com uma geladeira abastecida com água, refrigerantes, cervejas locais e vinhos sul africanos deliciosos.


Nosso ranger Daniel do Andbeyond


Nossa chegada no AndBeyoond Creator Lodge, com apenas 21 quartos não podia ter sido mais especial - fomos recebidos pelo staff do hotel com música e dança Massai, nos dando as boas-vindas e nos abençoando por ter tido uma boa viagem. Ali ja percebi que estava no lugar certo e na hora certa. Recebidos pelo gerente e encaminhados aos quartos que eram maravilhosos, os encantamentos começaram de imediato.

Equipe do Andbeyond Ngorongoro


Fiquei no quarto 21, no Camp Sul do Lodge - a vista la de cima, direto para a cratera do vulcao nos deixava paralisados. A cada raio solar, a paisagem mudava completamente e a beleza ficava cada vez mais intensa. Meu quarto tinha quatro ambientes. Logo na entrada, uma antessala com duas poltronas, uma lareira com uma mesa de centro. Mais atras, uma cama que literalmente me abraçava - que delícia. No ambiente seguinte, uma penteadeira e um armário para colocarmos nossas roupas, mas o melhor estava por vir - um banheiro de tirar o chapéu. Duas duchas, uma banheira que me chamava toda hora que passava por ela e o toilete. Tudo de altíssimo padrão, qualidade e bom gosto.


Tempo para refreshment e logo em seguida almoço, que está incluído em nossa programação bem como todas as outras refeições, snacks e bebidas ilimitadas - em ambas as redes, todos as bebidas e refeições estão incluídas. O restaurante do lodge tinha um ambiente super acolhedor, mesas preparadas com loucas locais e pintadas a mão, tacas de cristal e um cardápio digno de um restaurante Michelin. Várias opões de entrada, prato principal e sobremesas preparadas com ingredientes locais, sempre em busca de valorizar a gastronomia regional, que e muito parecida com a brasileira com temperos bem marcantes, frescos e balanceados - nada de fritura ou temperos mais fortes ou apimentados, pelo contrario, super saudável.

Nossa nave


Neste meio tempo, nosso ranger Daniel ja tinha preparado tudo para sairmos para nossa primeira expedição e foi incrível. Visitamos uma tribo Massai, para conhecer seus costumes e seus hábitos de vida. Eles vivem sempre em bando, onde os homens são responsáveis pela caca e alimentação da família e as mulheres pela construção das casas e cuidado dos filhos. Ainda vivem em ocas construídas de barro e estrume de animal para dar a liga, em forma circular, pois assim um protege o outro.


Conhecemos o filho do chef daquela tribo, Barak, que depois de quebrar o gelo inicial da visita, nos levou para conhecer suas esposas, isso mesmo, no plural, três delas. Muito comum na comunidade massai um homem ter mais de uma esposa, e o processo acontece sempre em troca de animais. Fomos recebidos com danças e acompanhamos uma demonstração para saber quem seria o homem mais desejado e poderoso do momento – o homem que conseguir pular mais alto, vence.

Tribo Massai Ngorongoro


Segundo dia, 5h30 todos de pé, ja com bateria carregada e em direção a cratera novamente, so que desta vez fomos os primeiros a entrar na região, o que nos permitiu ver em primeira mão e em um lugar mais longínquo, famílias de hienas, elefantes, zebras sempre em manada - uma beleza sem igual para nos que estamos acostumados a vê-los num Zoo ou parque.

Nosso café da manhã no Creator


Foram oito horas de exploração intensos e cheio de novidades e informações relevantes do cotidiano e da região. De volta ao nosso paraíso, e com chuva naquela tarde, o que mais queríamos era um banho quente e um bom jantar - até parecia leitura de pensamento - chego em meu quarto, abro a porta e uma banheira estava me esperando, quentinha e decorada lindamente com flores frescas e sais de banho - não deu outra - relaxamento total!

Banho relax no Andbeyond Creator Lodge


Descansados, banhados, fomos para a sala de estar do hotel, vinho, drinks e uma surpresa de nosso maganer, o Sr Mussa - ele preparou um jantar para nosso grupo na cave do hotel, decoração impecável, um menu maravilhoso harmonizado com vinhos locais deliciosos para nossa última noite - foi muito intenso e animado com a equipe do hotel nos mostrando experiencias únicas que eles preparam para nossos viajantes.


Na primeira hora do dia seguinte, partimos para outra nova aventura, rumo a pista de pouso de Masai Mara , embarcamos num Pilatus rumo ao Pq Nacional do Serengueti, 45 minutos de voo dali. O Pq Nacional do Serengueti e a maior área protegida federal da Tanzânia, com milhares de animais em seu ambiente natural e parte da grande migração, um ciclo anual de migração de animais sempre em busca de água fresca e comida.

Nosso time pronto para o embarque


Logo que chegamos, nosso guia Wilson nos recebeu com seu sorriso honesto e ja nos surpreendendo. Nosso objetivo no Serengueti era observar a grande migração e nos hospedar no AndBeyond Under Canvas, tendas de alto luxo montadas em meio ao Segengueti para termos literalmente uma experiencia imersiva, e foi o que tivemos.


Logo que nos recebeu, Wilson disse que não poderíamos perder tempo e que havia levado o almoço para nós e que rumaríamos direto para um Safari e durante ele, almoçaríamos. Depois de 30 minutos em trânsito, Wilson arma uma mesa de pique nique em meio a savanah e tira um almoço completo e delicioso com uma fresca salada, iscas de carne, frutas, petiscos e da geladeira do jeep águas, refrigerantes, cervejas e vinhos a vontade. Uma delícia estar num ambiente tao selvagem, mas ao mesmo tempo tão surpreendentemente acolhedor com estes pequenos detalhes.

Nosso guia Wilson sempre animando o time


Estar no Seringueti na grande migração e algo único. Para entenderem, e o mesmo que estar no Rio de Janeiro durante o Carnaval - um espetáculo único. Milhares de zebras, gnus, elefantes entre outros animais rumo ao norte em busca de comida e água, tornando isso um espetáculo visual - imagine uma fila quilométrica de animais em fila indiana caminhando? e isso ai!


No fim da tarde, rumamos ao Under Canvas e novamente aquela surpresa - tendas de altíssimo luxo montadas em meio a savanah, com tapetes, cama box mega confortável, roupa de cama 800 fios, chuveiro de água quente e uma vasta opção de bebidas e comidas preparadas por uma equipe dedicada de chefs e auxiliares. Nao havia limites para nos encantar. Imagine que até um bolo de aniversario prepararam ali, com uma estrutura precária de cozinha! Incrível.

Recepção com dança e música no Andbeyond Under Canvas


Muita cantoria, dança e um espetáculo de nosso mordomo, o Julius from Valencia - um tanzaniano bem-humorado, maratonista e que ja havia corrido nas maiores capitais do mundo. Amanheceu, e a mesa do café da manhã fora servida em meio a área gramada do acampamento. Café completo, pães, ovos, frutas e tudo mais. Imagine a dificuldade que deve ser em trazer tudo de fora. Minha curiosidade falou mais alta e fui atras do gerente do camp para saber o milagre disso e a resposta foi simples.

Café da manha e jantar no Under Canvas

Tudo vem de fora, 2 horas em avião e depois 45 minutos em carro duas vezes por semana. Um gerador a gasolina funciona durante o dia para carregar as baterias das geladeiras e de outras estruturas necessárias, mas a noite desligam para preservar o silencio necessário para nao atrapalhar os animais.

Nossa tenda de luxo no Under Canvas


Dia seguinte, saímos cedinho para mais um Safari com o Wilson e ai o show aconteceu - famílias de leões, leoas com seus filhotes, girafas, rinocerontes, gnus, zebras, elefantes, hienas e muitas outras espécies foram apreciadas a exaustão e explicadas em seus mínimos detalhes pelo nosso querido Wilson que sabia como nos encantar a cada curva ou track, afinal eles encontravam os animais observando suas pegadas e o entorno, através de galhos quebrados ou ate mesmo dos cocos eliminados por onde passavam.


Hora de dizer adeus a mais esse amigo que nos encantou, e embarcar em mais 20 minutos de voo rumo a Grumeti Game Reserve, 350 mil hectares de reserva privativa administrada pela Singita, a nova rede de lodges que conheceríamos e nos encantaríamos. Voamos com a Grumeti Air da mesma rede de lodges e já notamos a diferença e a surpresa em um avião novinho, pilotos supersimpáticos e amenities em nossos assentos. Voo rápido e pousamos na airstrip do Grumeti e lá já estava nosso mais novo futuro amigo, o Calson, um rapaz tímido que no final da viagem se revela - já já você vai descobrir por quê.


Calson nos recebe de braços abertos e com ele vamos em direção ao Singita Sabora Tend Camp, um acampamento em tendas ainda mais surpreendentes do que a que havíamos deixado para trás - uma estrutura fixa desta vez, com ampla área de convivência, restaurante, piscina, academia e ate spa, as tendas do Sabora oferecem disposição circular , todas com vista a savanah e super completas - amplo quarto dormitório, lounge com cozinha completa, duas duchas de banho (uma interna e outra externa) e uma banheira capaz de nos deixar relaxados a noite inteira. Chegamos, fomos recebidos pela simpática equipe do Lodge e ja fomos pro almoço, onde legumes frescos, frutas recém-colhidas e um cardápio variado nos mostrou a mudança superior em relação aos lodges anteriores.


A diferença deste Camp e que por ser fixo e não itinerante (muda de lugar a cada 3 meses), permite com que a estrutura necessária para atender ainda melhor esteja presente sempre. Esse detalhe permitiu que percebêssemos e vivenciássemos uma estadia única com direito a animais noturnos em volta de nossas tendas, dando a sensação de liberdade e experiencia real de safari. Piscina, area de convivência em volta da fogueira, sala de jogos e ate uma deli atendiam todas as necessidades que tínhamos como hospedes. As 5 da manhã o telefone do quarto toca e a surpresa.


Mr Marcelo, esperamos você em 30 minutos para sairmos para um Safari em balão - uau!!!!

Nosso passeio de balão com um panorama diferente


E la fomos nos. Já estávamos a mil, adrenalina e tudo mais aflorando, mas o melhor aconteceu - a caminho do ponto de decolagem, do nada, um leopardo apareceu na frente do nosso jeep - aquela apreensão e tensão, afinal esse animal e extremamente raro de se ver - até o Calson ficou congelado. Pronto! a viagem estava em seu esplendor - filmamos bem de perto. Que sensação.


O dia começou bem e la fomos embarcar no balão para 1h15 de voo sobre o Grumeti. Lindíssimo. A paisagem muda completamente. Voo tranquilo, pouso tranquilo de profissional - nosso piloto literalmente encostou a cesta do balão na savanah - nada de arrastar o povo dentro, trancos e barrancos - foi leve e suave. Parabéns, Seringueti Balloons.


Por volta das 8h30, voltamos pro lodge para tomar café da manhã e aproveitar a manhã na piscina do lodge e almoçar tranquilamente antes de partirmos pro safari da tarde que nos deu outros panoramas de uma reserva crivada e as facilidades de poder se aproximar ainda mais dos animais literalmente em meio a savanah e sem outros jeeps por perto. Era praticamente nosso. Faz toda a diferença. Pudemos nos aproximar de uma família de 12 leões a uma distância de 2 metros - as fotos eram impressionantes e ficaram lindas. Anoiteceu e o jantar de despedida não poderia ter sido mais especial - conhecemos e saboreamos a comida típica e cotidiana da Tanzânia, cheia de sabores e texturas - adivinhem o que e? Arroz, feijão, carne e polenta - acreditem so!


Na manhã seguinte nossa missão era nobre e bem esperada - fomos conhecer a Grumeti Fund, uma fundação filantrópica do Singita que objetiva educar e preservar a cultura local da area da reserva, alem de levar as 21 vilas da regiao oportunidade de melhorarem de vida através de atividades coletivas, da escola para os menores ate a universidade com foco aos que buscam praticar atividades de preservação, meio ambiente, turismo entre outras. Um lindo trabalho que envolvem muitas empresas que apoiam através de patrocínio financeiro. Nos tivemos a oportunidade de conhecer a escola local, super bem montada e levar doações de roupa, material didático e fazer um bate papo com os 18 alunos que nos receberam para trocarmos informações sobre o Brasil e eles sobre a Tanzânia. Foi incrível. De la, seguimos para nosso último lodge, ja imaginando que nada mais poderia ser superado.

Crianças na escola do Grumeti Fund


Rodamos meia hora até chegarmos no Singita Faru Faru, localizado no alto da colina, com uma vista panorâmica única da savanah, fomos recebidos pela equipa supersimpática do hotel, com destaque para o MC, hostess que diariamente nos surpreendia com seus drinks locais, pratos deliciosos e com um sorriso sempre estampado no rosto.

Nosso querido MC preparando seus drinks no meio da savanah


Esse lodge, por ser o último que nos hospedaríamos, tinha características bem diferentes dos anteriores - localizado no alto da colina, cada quarto tinha uma vista diferente para o Rio Grumeti e eram muito lindos - amplos, um janelão com vista para a savanah e ducha externa com vista para o rio, destacava-se pelo conforto de sua cama king e por ter um chez-longue para leitura na antessala. Um bar completo com águas, refrigerantes, cervejas e vinhos era reposto diariamente, como acontecia no Andbeyond Ngorogoro e Singita Sabora, permitindo que escolhêssemos o que beber diariamente.


Um amenitie que deixei de comentar nos outros lodges, e sempre dispostos para usufruirmos, era um chapéu para o sol forte, um poncho para o frio e repelente produzido especialmente para os hotéis, com um aroma fresco e gostoso - mais um facilitador em busca de manter as necessidades de o que levar atendidas.


Almoçamos com uma vista linda do bar que fica no rooftop das áreas comuns do Faru Faru e a tarde fizemos um safari mais que especial, pois em meio a procura de animais pela savanah nos deparamos com uma cheta lindíssima passeando e procurando seu almoço - ficamos ao redor dela por umas duas horas para buscar a melhor foto e ficou perfeito.

Cheeta a dois metros do nosso jeep


Dali, seguimos para visitar uma residência/lodge do Singita chamada Seringueti House - uma casa com quatro suítes que acomoda até 10 pessoas equipada com serviço de mordomo, cozinha completa, academia, piscina aquecida com raia de 25 metros, churrasqueira e até uma quadra de tênis, acreditam nisso?! Ideal para famílias que queiram estar juntas nesta experiencia única, mas ao mesmo tempo manter todo o luxo e serviço de alto padrão oferecido.